Ao cadáver

“Não sabemos quais foram seus ideais. Por você não foram derramadas lágrimas e nem dado o último adeus. Porém, hoje o reconhecemos como aquele que, anônimo, nos ofertou a oportunidade de descobrir o verdadeiro significado do “existir”, contribuindo de maneira grandiosa para a sociedade — essa mesma que por você passou indiferente. A você, sinônimo de humildade, nosso eterno agradecimento”.
(Autor desconhecido)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *