“Àqueles que acompanharam nossos passos, mesmo quando foi preciso correr para andarmos juntos, obrigado. Obrigado aos nossos irmãos pelo companheirismo, pelas risadas e pelas brigas de sempre. Aos amigos que ficaram tanto tempo esperando nossas visitas que muitas vezes não aconteceram, que se acostumaram com nossos “parabéns atrasados”, que aceitaram tantos “hoje eu não posso ir”, sem questionarem, que estiveram sempre disponíveis quando nosso tempo para eles era tão limitado… Obrigado. Aos nossos namorados, noivos, esposos e filhos, que tantas vezes deixamos em segundo plano, que abraçaram este nosso sonho como se fosse deles. Agradecemos pelo ombro, pela admiração. Obrigado àqueles para os quais não fomos suficientemente pais, filhos, irmãos, amigos, namorados, e que, por nos amarem tanto, contribuíram para que fôssemos suficientemente profissionais”.

(Autor desconhecido)